Amenidades. Esses hiatos…

Estive refletindo sobre o sabor da vida e concluí que as amenidades, aquelas coisas que nos parecem sem muita importância – “porque temos uma porção coisas grandes pra conquistar e não podemos ficar aqui parados” – são elas, sim, que se constituem o “sal” da nossa existência.

Explico. Hoje à tarde, quarta-feira de Cinzas, saímos para um pequeno passeio no bairro. Lembrei que preciso ver um sapato para o casamento de uma grande amiga, mas as lojas, quase em sua maioria, estavam fechadas. Aí, resolvemos ir a um shopping em Vila Velha. Haveria lá alguma peça interessante. Então, fomos conversando ”coisinhas nossas”. Comentamos o almoço que preparamos hoje (sobrecoxas de frango assadas com pedaços de batata em ninho de cebolas roxas), que, modéstia à parte, é sempre sucesso em casa. Depois, contamos casos ‘sem lá tanta importância’ que nem me lembro, e seguimos pela Terceira Ponte – nossa obra monumental e um dos cartões postais de Vix –  e que nos permite um vista panorâmica da belíssima baía de Vitória, tendo a sul o imponente outeiro do Convento da Penha, que sempre nos remete a uma reverência ao divino – o nosso universo intrínseco e paralelo.

No shopping, continuamos falando de coisas, comentando trivialidades, demos um giro por lojas, testamos perfumes e cremes, compramos acessórios para maquiagem.

Enquanto isso, Maria, leitora voraz, foi à livraria próxima e não é que veio com a notícia que enquanto nos aguardava lera uma revista em quadrinhos inteira?  Pois é. Seria isso ético? (afinal, é o produto da loja) ao que ela disse que livros e revistas estão ali, abertos aos leitores e que ler ali não é proibido. É, pode ser.

Olhamos mais algumas outras novidades e resolvemos, tal como fazemos sempre, tomar um café. Desta feita, fomos a um belo espaço que serve sempre um ótimo café, acompanhado de bolos, quiches, empanadas e outras delícias argentinas. Os papos continuavam amenos e agradáveis. Degustamos um brownie  de doce de leite e tiramos uma selfie, que postamos no Instagram com uma legenda inspirada: “Momentos de doçura compartilhados”… E, ao final, quando já íamos saindo, soubemos pela funcionária que iriam fechar o serviço de café. Ora, ora! Reclamamos. Isso não se faz. Fechar um café, onde já se viu isso? E são tão poucos com esse glamour! Isso tem um sabor amargo, é como um café frio e fraco, pensei. Mas, afinal, o que é isso, se já assistimos em nossa cidade ao fechamento de tantos cafés, livrarias e, como se não bastassem, mais de uma dúzia de cinemas. Consideremos: “Não estamos alegres, é certo, mas por que razão haveríamos de ficar tristes? O mar da história é agitado. As ameaças e as guerras havemos de atravessá-las, rompê-las ao meio como uma quilha corta as ondas” e de fato tantos outros motivos temos para nos alegrar, afinal, estamos aqui, juntos, com esses nossos momentos, compartilhando os instantes com seus sabores, no balanço das horas, dos dias, dos anos. Juntos. Com nossas relações afetivas e fraternais. Querer mais?…

Já de volta pra casa, a pedido de Maria, no CD que rolava colocamos a música de número três:  Sealed with a kiss – Uma canção inspiradora e que fecha a nossa tarde de amenidades. Amenidades que, concluí, dão sabor, adoçam a vida. São esses ‘hiatos’ que nos conectam na tessitura desta existência. E pensar que gastamos tanto tempo em busca de uma porção de coisas grandes pra conquistar…

Ah! Lembrei agora, não é que esquecemos do sapato?

brownie

Um beijo,

Dôra.

Anúncios

Então, é Natal!

No embalo desta energia sublime que envolve e ilumina o Planeta, nos permitimos um tempo para nos percebermos. E, ao nos enxergarmos no mundo com os outros, vamos refletindo sobre a vida e o nosso papel, e sobre esta coisa fascinante que é nos pertencermos a ela, ou ao conjunto desta massa em movimento que é a humanidade. Nesta paradinha para pensar, que o Natal suscita  e oportuniza, vamos desfilando diante de nós, em retrospectiva, o que fizemos no ano, ou melhor, o que fizemos do nosso ano.

Será que avançamos ou estacionamos? A lista em análise é imensa: atividades de trabalho, família, aprendizagem, conquistas, realizações de metas, frustrações, encontros, desencontros, cuidados, amores,  dores, prazeres, momentos felizes ou difíceis; projetos…

Projetos. De nossa parte, ressaltamos este projeto aqui. A construção  deste blog. Um projeto experimental que lançamos no dia 14 do mês de janeiro de 2015, e que nos deu muitas alegrias, nos propiciando ótimas interações. Estrategicamente fizemos uma parada nas postagens e para nossa surpresa, recebemos vários incentivos do tipo: “Parou porque? Por que parou?”.

Não paramos! Só nos permitimos um breve hiato para avaliação. Aqui estamos tal como começamos, cheias de expectativas boas,  para desejar a todos um Feliz Natal e também um Feliz Ano Novo. E, ainda, para dizer, como nós capixabas dizemos, que queremos “pocar” neste novo ano, com atualizações  frequentes  e abordagens cada vez mais interessantes. Afinal, já temos público e mais importante que tudo, um público que nos ama e que tende a crescer exponencialmente, se Deus quiser.

Então, é Natal e daqui enviamos um abraço fraterno a todos, com as melhores vibrações de PAZ e AMOR, com a esperança renovada e a certeza de que, vencidas as turbulências de 2016 – que não é preciso aqui relembrar – recebamos 2017 com muita fé, com condutas otimistas, proativas,  porque ‘tal e tal’: Eu mudo o mundo quando mudo a mim mesma. É que minha mudança tem reflexo no todo, afinal, somos todos um.

Um grande beijo,

Dôra e Gizele

Chapéu Floppy

Em alto-verão, com o sol e a sensação térmica batendo os quase 40 graus, nada melhor do que procurar alternativas para nos proteger dos efeitos agressivos do sol e tornar nossos passeios mais agradáveis. Com isso, vemos cada vez mais a utilização do chapéu: um acessório atemporal e extremamente fashion.

Um dos meus preferidos é o Floppy. Com suas abas grandes e bem arredondadas, o chapéu Floppy é super romântico e despojado ao mesmo tempo.
Surgido na década de 70, passou a ser o queridinho entre as mulheres com estilo boho, mas isso não impede que seja incluído como acessório em outros estilos, principalmente os mais sofisticados.

Podendo ser utilizado em todas as estações do ano, o chapéu Floppy ganha espaço no guarda-roupa da mulher brasileira por sua versatilidade.

E você, que tal ousar e investir num chapéu? Há diversos modelos, cores e texturas. Com certeza você encontrará um que irá te agradar.

floppy

 

Um beijo,
Gizele

Bohemian hat
99 BRL – blk-bluonline.com

BCBGeneration navy blue hat
195 BRL – bcbgeneration.com

Kimchi Blue wide hat
140 BRL – urbanoutfitters.com

Christys floppy brim hat
155 BRL – urbanoutfitters.com

Eric Javits floppy brim hat
910 BRL – bloomingdales.com

Vero Moda wide brim straw hat
97 BRL – asos.com

Rose Quartz – O hit do verão!

O verão 2016 vem acompanhado da suavidade das cores claras, sendo sua principal atração o Rose Quartz, um rosa bebê que lembra uma nuvem de algodão doce. A Pantone, referência mundial no padrão de cores, que  ditou a tendência. A ideia é buscar na suavidade (e docilidade!) da cor um certo alívio para a dureza da vida real, altamente ligada na tecnologia.

Nossas dicas para você arrasar neste verão:Sem título

giphy

Maria Antonieta aprova e nós também!

Um beijo,

Gizele e Dôra.

Presenteando com estilo

Dezembro chegou trazendo consigo as confraternizações nas empresas, nas famílias, nas academias, nos grupos de amigos, nas escolas, nas faculdades, etc., que sempre vem acompanhadas do tradicional “amigo x” (oculto ou secreto, dependendo da região onde ocorre). Esta troca de presentes é bacana e prática. Contudo, é preciso algum critério na escolha do presente para que você não se torne um “amigo da onça” ou que alguém te dê “um presente de grego”.

A brincadeira, em geral, norteia o valor do presente, o que já é útil na hora de comprá-lo. Entretanto, um mínimo de criticidade é sempre bem-vindo. Para que seu presente seja estiloso e agrade em cheio a pessoa sorteada, listamos algumas dicas:

1 – Praticidade:

Seja prático na escolha. Aquilo que você está presenteando faz algum sentido na vida do presenteado? Se você não conhece as preferencias literárias ou musicais do seu amigo secreto, evite presenteá-lo com livros ou discos. Se a pessoa não consome bebida alcoólica, não o surpreenda com uma garrafa de vinho. As chances de erro diminuem.

2 – Qualidade:

christmas_gift_christmas_decoration_fan2011857-710018

 

Não é porque o preço estabelecido como margem do presente é baixo que você vai entrar na primeira liquidação de loja e adquirir um produto no valor. Vale “garimpar” com estilo para conseguir de boa qualidade dentro do valor estipulado.

3 – Foco:

gift

Lembre-se que o ato de presentear é fazer a pessoa presenteada feliz. Na hora da compra pense se o que você está comprando irá agradar.

4 – Utilidade:

bad-christmas-gifts-vx9o2sgc

Tenha convicção que seu presente escolhido será útil, de alguma maneira, para seu amigo secreto.

5 – Bom Senso:

Bad-present

Evite presentes que possam causar constrangimento e expor seu presenteado ao ridículo. Nada de presentes “sem noção”.

Essas dicas estão longe de encerrar as observações sobre o assunto, apenas sinalizam apontamentos básicos para uma escolha mais acertada. De qualquer maneira, se nada disso der certo e você não conseguir agradar (ou se agradar) com o presente, take it easy. O melhor da festa é estar entre amigos. Tim-Tim!

Um beijo,

Dôra.

Tendência do verão 2016: Saias Midi!

À primeira vista, ela parece antiquada. Mamãe mesmo “torceu o nariz” quando manifestei minha vontade (diga-se de passagem, antiga) em aderir a esta tendência. Mas a verdade é que é uma peça super versátil, confortável e extremamente feminina.

Algumas marcas apostam nas estampas coloridas ou no próprio tecido liso em tons fortes para deixá-las com uma cara um pouco mais moderna, enquanto outras continuam mantendo-as na linha tradicional retrô Lady Like. O fato é que, de uma forma ou de outra, a saia midi veio, marcou presença nas passarelas e nas ruas das cidades e vai deixar sua marca mais uma vez.

saia midi

No último sábado, dia 28/11, aproveitando a tarde ensolarada e “ventante” de Vitória apostei no look verde-azul Farm, super cool e casual, para comemorar o aniversário de uma amiga. Por se tratar de um churrasco, optei por usar uma espadrille sem salto dourada Arezzo para compor o look.

saia midi2

A blusa cropped (também Farm) com estampa de flores e borboletas, em “parceria” com a saia ajudou a deixar o look alegre e despojado, adequando-se perfeitamente à ocasião.

E você, vai aderir? Que tal fazer como dona Dôra – abrir mão de velhos conceitos – e se jogar de cabeça nesta nova tendência?

Um beijo,

Gizele

Retomando…

Estivemos um tempo “fora do ar” em virtude de muitas atividades, mas estamos de volta, retomando nosso compromisso com o blog, já em clima de Natal e Ano Novo.

Neste período em que estivemos ausentes, de modo algum, deixamos de acompanhar as tendências de moda e beleza. Inclusive reunimos vários assuntos que oportunamente iremos apresentando. Por hora fica a nossa saudação, com ótimas vibrações de alegria para este momento tão especial que são os dias que antecedem o Natal.

Em tempo, agradecemos a todos que nos visitaram neste período e reiteramos nosso convite para que continuem “presentes” por aqui. Tal como começamos, com aquela energia bacana, estamos retomando.

 

Um beijo,

Dôra e Gizele

75cd6cb4a195f1cc9569e2102fcd7bd3